27 de dezembro de 2017

Como NÃO viajar sozinho viajando sozinho

E é deitada na rede no hostel em Paje (Zanzibar) que eu começo a escrever esse post sobre a prática de viajar sozinho. Sem dúvida um dos mais especiais para mim. Hoje está nublado, mas ainda faz bastante calor. Poderia estar na praia, porém resolvi aproveitar o silêncio desse lugar único para tentar achar as palavras certas para escrever esse artigo.

Quando comprei minha passagem para África e decidi viajar sozinha, eu tinha uma vaga noção de que em alguns momentos, eu não ficaria só. Meus amigos me diziam Você vai conhecer muita gente na estrada! Mas eu não fazia ideia do quão avassalador – no bom sentido – isso seria.

Me brota um sorrisinho nostálgico enquanto escrevo e lembro de cada um dos meus novos amigos. Cada um especial, com suas particularidades, manias, sonhos, desejos e realidades. Aprendi com todos um pouquinho.

Esse artigo sobre viajar sozinho eu escrevo para você que também quer ter essa experiência, mas ainda se sente inseguro. Separei algumas dicas para te ajudar a encontrar pessoas bacanas no caminho e compartilhar momentos inesquecíveis, assim como eu fiz.

Primeiro, citarei cada dica e no final deste post, eu selecionei as fotos de cada pessoa especial que fez parte da minha jornada.

Confira nesse post como é voar de TAAG => Como é Voar de TAAG Angola Airlines para Namíbia

Dicas para Não viajar sozinho viajando sozinho

1.Fique em Hostel

Acho que essa dica é bem obvia né? Mas sim, não tem como deixar de fora. É no hostel que você tem a chance de conhecer várias pessoas que estão viajando sozinhas ou não, montar um grupo e até dividir passeios. Opte por dormitórios, seja gentil e educado, puxe assunto nas refeições, cozinhe junto. Procure estar perto das pessoas e não se isole. Foi nos hostels que conheci as pessoas mais importantes da minha trip.

2.Faça Free Walking Tour

Se a cidade que você está indo oferece esse tipo de alternativa, vá! Lá você vai encontrar outros viajantes, sozinhos ou não, fazer amizade e marcar o próximo passeio ou até um drink. Foi assim que aconteceu comigo em Cape Town. Estava me sentindo meio triste e sozinha, a cidade é muito grande e não foi tão fácil fazer amizade no hostel. Mas aí tudo mudou. No primeiro dos três free walking tour que fiz, conheci três holandeses que mudariam meu mood na cidade.

3.Viaje de transporte público

Principalmente se você vai de uma cidade para outra ou de um país para outro. Opte por ônibus, trens ou no caso da África, as vans. No continente africano não é tão fácil encontrar mochileiros como na Europa por exemplo, mas quando encontra, é quase que natural a aproximação. O sistema aqui é tão precário, que quando você encontra um viajante na mesma situação que você, vocês viram amigos de infância por pura questão de sobrevivência.

4.Couchsurfing

Para muitos brasileiros ainda um tabu! Como assim você vai se hospedar na casa de um estranho? Muito popular na Europa, a prática de receber um viajante estrangeiro ainda gera discussões. Porém, eu arrisquei na África. Depois de muitas pesquisas para achar um bom host, eu tive umas das minhas primeiras experiências na Namíbia viajando de carro.

Fazendo Couchsurfing, você nunca estará sozinho. Seu host te mostrará o que tem de melhor na cidade, fugirá da rota turista, e mostrará lugares mais baratos para comer, beber e comprar. Além de te apresentar amigos.

Veja nesse post como foi minha viagem pelo sul da Namíbia => Minha Road Trip pela Namíbia

5.Trabalho Voluntário

Meu plano para Zanzibar era fazer voluntariado como fotógrafa em alguma escola de kite surf. Por que? Porque a ilha é um destino bem caro e eu queria guardar um dinheiro para as futuras compras de Natal – já que estou voltando para casa para a tal data. Mas como várias coisas aconteceram no caminho, os planos mudaram. Entretanto posso afirmar, fazendo voluntariado você conhece pessoas novas de diferentes países do mundo. São inúmeras as opções, mas opte principalmente por lugares com constante fluxo de pessoas como por exemplo hostels e escolas de esportes. Orfanatos e fazendas podem ser mais difíceis de fazer amizade pelo número reduzido de voluntários.

Como funciona e onde encontrar esses lugares? O trabalho voluntário geralmente acontece em troca de acomodação e refeições. Você escolhe um lugar para trabalhar em um deles sites (WWolf, Work Away e Work Nomads, esse último brasileiro). A carga horária em hostels e escolas de surf/kite/futebol gira em torno de 5 ou 6 horas diárias com direito a duas ou três refeições e acomodação, tendo ainda dois dias livres na semana. Ótimo para viajar gastando pouco, ajudar e conhecer pessoas do mundo todo.

6.Faça passeios pagos

Se a grana permitir, que tal investir num tour? Pode ser um Safari no Quênia, um tour guiado no Vaticano ou um Sleep Aboard em Maya Bay. É batata! Nesses tours você vai sempre conhecer pessoas que estão ali para o mesmo fim. Não se isole ou se feche, puxe assunto e participe das conversas. Nesses passeios o guia sempre opta por descontrair o grupo, apenas deixe fluir e você sairá de lá com alguns novos contatos.

Conheça agora as pessoas que fizeram minha viagem tão especial

Acredito e espero que essas fotos possam te provar que é possível não viajar sozinho quando se está sozinho. Arrisque como eu arrisquei. Vá de peito aberto. Seja gentil sempre e esteja pronto para novas amizades.

As fotos estão em ordem cronológica

Namíbia

O Mel, ali atrás, foi o namibiano que fiz Couchsurfing. Ele está começando a trabalhar com passeios e organizou essa road trip pelo sul do pais.

Como Nao Viajar Sozinho Namibia

Fiz amizades com quatro finlandesas e uma alemã. Trocamos ideia, rimos, passamos sufocos. Foi a primeira de muitas experiências incríveis.

Em Windhoek, quando voltei da road trip, fiquei no hostel por três noites esperando o dia do Safari. Lá fiquei curtindo o lugar e as áreas comuns. Por ter ficado bastante tempo no hostel, acabei conhecendo o alemão Dirk e o marroquino/holandes Yusf. Só posso dizer uma coisa: que duplinha! Yusf foi de longe a pessoa mais engraçada que conheci em toda a viagem. E Dirk, um alemão bem descontraído, não tão alemão. Passamos um bom tempo juntos.

Como Nao viajar sozinho Windhoek Namíbia

Dirk e Yusf foram a companhia perfeita para começar a encarar a viagem sozinha. Me deram conselhos e dicas para minha jornada.

Conheci a Noriko e o Pablo – um casal de brasileiros – ainda em Windhoek, no hostel. Conversa vai, conversa vem, descobrimos que tínhamos o mesmo plano: Safari no Etosha com a mesma empresa -> 3 dias em Swakpomund -> Cape Town. Claro que ficamos juntos esse período. Nos adotamos na verdade. Era como se eles fossem meus pais e eu a filha. Nos falamos até hoje e temos planos de nos ver em 2018, em São Paulo, onde eles moram.

Como Nao Viajar Sozinho Etosha

Família Namibiana em Swakopmund

Vontade de apertar

Cape Town

Foi no Free Walking Tour que fiz para o bairro colorido de Bo-Kaap que conheci o Rutger, Guus e Jos. Eu estava sozinha e eles me pediram para tirar uma foto do trio, já que me viram com tanta câmera na mão. Depois desse primeiro contato começamos a conversar e eles me chamaram para subir a Table Mountain naquela tarde. Claro que topei, né!? Esse foi o primeiro dos três dias que passaríamos juntos. O que mais me chamou a atenção foi a forma delicada que eles me acolheram, me senti muito a vontade e querida por eles. Temos um grupo no Wapp chamado My Dutch Boys e nos falamos até hoje.

Como Nao Viajar Sozinho Cape Town

Com esses três não tem tempo ruim

Como Nao Viajar Sozinho Amigos

No dia seguinte, subimos a Lion’s Head e o tempo ajudou para a foto capa do nosso grupo :D

Nader foi o egípcio que ficou no meu dormitório em Cape Town. Um dia resolvemos assistir o pôr do sol em Camps Bay. No meio das nossas conversas ele me contou o quanto era difícil ser católico e estar apaixonado por uma muçulmana, o que no país deles é crime.

Como Nao viajar sozinho Amizade de Hostel

Nader é um querido. Dividimos o valor do Uber na ida e na volta pegamos transporte público.

Moçambique

Quando o ônibus que ia de Johanesburgo para Maputo quebrou, todos os passageiros desceram. Puxei assunto com o único mochileiro do ônibus – além de mim. Titus, um alemão super boa pinta e simpático, estava indo para Moçambique e pelos próximos doze dias, tinha a mesma rota que a minha. O que fizemos? Decidimos que viajaríamos juntos a partir dali. Quando se está na África fazendo mochilão, por instinto, você busca outros viajantes na mesma situação.

Como Nao Viajar Sozinho Tofo

Eu e Titus curtindo uma sombrinha em Tofo

Em Tofo, eu e Titus conhecemos o Simon e o Stefan, um alemão e um romeno que estavam viajando sozinhos, se conheceram na Namíbia e começaram a viajar juntos. E já estavam nessa há quase um mês. Eles deixaram Tofo um dia antes de Titus e eu. Nós quatro nos reencontramos em Vilanculos, dois dias depois, no mesmo hostel. Lá, Simon e Stefan já tinham feito amizade com duas húngaras, a Adél e a Orsi. Pronto, nosso grupo estava formado. Ficamos os seis juntos por quatro dias. Foi muito divertido, fizemos muita coisa bacana e esse período foi muito especial.

Como Nao Viajar Sozinho Carona

Esse foi nosso primeiro passeio juntos, uma carona na caçamba :)

Como Nao Viajar Sozinho passeios

O dia que velejamos juntos. Foi tão gosotoso esse dia. Velejar é tão relaxante. Escutamos músicas, bebemos algumas cervejas e conversamos muito, sobretudo com os loais que velejavam o barco

Durante uma de nossas conversas, eu e o Stefan descobrimos que iriamos para o mesmo caminho. Tinha chegado a vez do grupo todo se separar. Cada um foi para um canto, e eu e o romeno, para o norte de Moçambique.

Como Nao Viajar Sozinho Dupla

Eu e Stefan viajamos juntos um total de 35 dias, quase a metade da minha viagem. Passamos por tanta coisa juntos… Daria um livro.

Em Ilha de Moçambique, o Stefan recebeu uma mensagem de um taiwanes que tinha viajado com ele pela Namíbia e África do Sul. O menino dizia que estava chegando na cidade e perguntou informações sobre hospedagens. Stefan disse onde estava e no dia seguinte o rapaz chegou no nosso hostel. Vincent, o asiático que eu tinha trocado algumas palavras lá na Namíbia, um mês atrás. Achei tão coincidência. Quais as chances disso acontecer? A partir dali, viramos um trio. Improvável, cheio de diferenças, cheio de coisas em comum. Viajamos juntos por 22 dias.

Como Nao viajar sozinho Pemba

Brincando em Pemba

Como Nao viajar sozinho Por do sol entre amigos

O pôr do sol mais lindo que assiti

Como Nao viajar sozinho Matemo

Em Matemo. As crianças provavelmente nunca viram um asiático. Ficam deslumbradas com os cabelos lisos do Vincent.

Como Nao viajar sozinho

Nem tudo são flores. Vincent e Stefan tinham opiniões diferentes em vários aspectos, e as vezes rolavam uns conflitos. Mas no final, tudo acabava bem. Acredito que esse exercício tenha amadurecido os dois. Conviver com pessoas diferentes sempre traz algum aprendizado.

Como Nao viajar sozinho amigos

O dia mais difícil na nossa viagem com certeza foi esse. O dia que atravessamos a fronteira Moçambique-Tanzânia. Essa foto eu tirei umas 7 ou 8 da manhã.

Como Nao Viajar Sozinho atravessar fronteiras

Essa foto já era no final do dia, lá pelas 5 da tarde. Atravessando a fronteira de fato. Mas ainda faltava muito para chegar ao destino.

Quando estávamos indo para Ibo, em Moçambique, conhecemos o George na chapa (vans decadentes de Moçambique). Como ele estava viajando sozinho, se sentiu atraído pelo nosso trio e acabou ficando junto com a gente por quatro dias. Dividimos passeios, refeições e transporte com esse inglês simpático.

Como Nao Viajar Sozinho - Em Cantos Fotográficos

Nosso quarteto em Ibo

Como Nao Viajar Sozinho Ibo

Nós três e George dividimos todos os momentos, até o pôr do sol em Ibo

Tanzânia

Andreia, Joana são duas portuguesas e acabaram de ser formar em medicina. Na Tanzânia, elas conheceram a brasileira Nadir, todas fazendo trabalho voluntário. Acabaram virando amigas – até pela facilidade da língua – e marcaram de fazer um safari no Serengeti juntas, onde nós três (eu, Stefan e Vincent) estávamos. Além delas, havia um espanhol como voluntário também, que acabou fazendo o passeio. Durante três dias, nós sete dividimos o carro do safari, refeições, surpresas e até fomos para um boate numa cidade pequena da Tanzânia, onde passamos a noite em um dos dias. Foi muito divertido!

Como Nao Viajar Sozinho faça voluntário

Joana, Andreia e Nadir escolhendo colares na tribo africana que visitamos

Lembra do Simon? O alemão amigo do Stefan? Depois de Moçambique ele foi para África do Sul e Malawi. Só que a Tanzânia também estava nos planos dele e nos reencontramos em Zanzibar, depois que o Vincent foi embora. Esse período já era próximo da minha partida, então nós três aproveitamos ao máximo meus últimos dias de viagem. Sempre muito atenciosos comigo, me encheram de mimo.

Como Nao Viajar Sozinho Zanzibar

Nosso último dia em Nungwi. Compramos abacaxi gigante e comemos assistindo o pôr do sol para nos despedirmos desse lugar tão bonito

Simon e Stefan viraram amigos mesmo, dá para perceber a sintonia e cumplicidade. Muito provavelmente serão amigos para sempre. No mesmo dia que deixei Zanzibar, eles estavam começando a migrar para o norte, atravessar a fronteira com o Quênia. No momento que este post foi ao ar, eles estão em Nairobi, seus planos são de ir para a Etiópia juntos. Depois disso, Simon volta para a Alemanha, e Stefan… who knows?

E deixando as diferenças históricas e atuais de seus respectivos países de lado. Dois homens, as vezes meninos, que se conheceram na África e agora são parceiros, aliados, amigos.

E quando voltei para Windhoek (Namíbia), achava que ia ficar no hostel aguardando a hora de ir embora para o Brasil, dois dias depois. Mas no meu quarto estava Molly, a primeira irlandesa que eu conheci na vida. E que irlandesa! Engraçada, independente, dona de si, gente finíssima, eu e Molly passamos nossas últimas horas na cidade grudadas. Foi tão bacana nossa sintonia que fomos ao mercado, às compras, ao banco e ao restaurante juntas. A gente se curtiu de verdade e ela tem planos de vir ao Brasil em 2018. Mal posso esperar!

Como Nao viajar sozinho Amizade

Conhecer a Molly foi uma surpresa. Parecia que éramos amigas há meses ou anos…

Claro que conheci outras pessoas no caminho. Várias. Mas essas ficaram comigo por mais tempo, ou me marcaram, ou tive mais afinidade. O importante é ter em mente que isso também vai acontecer com você. O que quis mostrar nesse artigo é que fui sim, sozinha, um pouco desconfiada e fechada. Mas voltei com muitas histórias sobre pessoas que conheci, milhões de fotos, e amigos em vários cantos do mundo.

Não tenha medo de viajar sozinho.

 

 

 

Comente via Facebook
Deixe um Comentário
2 Comentários
  1. Michelle • 01 de janeiro de 2018 - 10:39

    Nossa, que viagem incrivel. Achei corajosa sua viagem, mas deve ter sido uma experiência inesquecivel.

  2. Naná Coutinho • 27 de dezembro de 2017 - 23:45

    Que experiência foda! Quanta gente legal conheceu! Essa apresentação das pessoas que você encontrou no caminho fez até eu me sentir amiga delas. O melhor é que dessa viagem você não vai levar só a experiência, mas amigos para o resto da vida! Parabéns e obrigada por compartilhar isso com a gente!

voltar
para o
topo