30 de março de 2016

Fotografia de rua: tudo que você precisa saber para caprichar na sua cidade ou em qualquer outra do mundo

Talvez você não saiba, mas eu sou tímida. Não era, eu costumava ser extrovertida, falante e entusiasmada. Mas com o passar do tempo eu fui me fechando e me calando. Hoje sou quietinha, quase imperceptível. E por essas e outras que me apaixonei por um determinado segmento da fotografia que eu posso ser quase invisível, que é a street phototgraphy ou fotografia de rua. É só você e a rotina de uma cidade, as pessoas nem te notam e quando notam, raramente se importam. A interação com o assunto é menos exigente (a não ser que seja uma situação planejada), é mais despretensiosa e leve. Diferente de fotografar um modelo ou então um evento social.

Pode ser covardia? Talvez. Mas prefiro pensar que assim sou livre para chegar e sair a hora que eu quero. Sou livre para escolher se vou ou se não vou, e se o dia não for bom (o que é difícil) o outro será. A fotografia de rua te dá liberdade. Isso é incontestável.

Fotografia de rua em Florença

O que é a fotografia de rua?

Em sua essência, a arte de fotografar na rua é uma abordagem que envolve as pessoas, e também animais, num ambiente público, seja em uma rua, um bar ou até mesmo no transporte público, como o ônibus ou metrô. A fotografia de rua aproveita basicamente o que há de mais comum: os pequenos momentos, os detalhes do cotidiano, aqueles a que ninguém dá muita confiança, nem se lembra, muito menos se importa.

Crianças correndo atrás de bolhas de sabão, uma mulher lendo um livro no metrô, um casal atravessando a rua ou uma senhora escolhendo frutas na feira. Apenas pormenores.

A fotografia de rua tem o objetivo de explorar a realidade, criando imagens belas ou interessantes a partir do que se encontra na rotina, geralmente situações espontâneas e imprevisíveis.

Na fotografia de rua é importante sair para fotografar sem planos exatos, você até pode ter um projeto na cabeça, um formato de imagem ou uma ideia, mas não se sabe o que vai encontrar na rua, e é preciso estar aberto à tudo.

Como eu adoro observar e fotografar a rotina de um lugar que eu visito, 99% das fotos desse post são de outras cidades do mundo. Eu acho o centro do Rio incrível, mas ir sozinha com minha câmera fazer umas fotos de rua é praticamente suicídio.

Fotografia de rua em Roma

Na Piazza del Popolo, em Roma, eu fiquei um bom tempo olhando um grupo de crianças brincando com as bolinhas de sabão que um vendedor estava jogando no ar. As bolinhas de sabão parecem mágicas e encantam as crianças e arrancam delas a mais genuína alegria, o que acaba hipnotizando os adultos e tudo gira em torno desse círculo vicioso. Eu era um fantasma no meio desse grupo.

A história da fotografia de rua

Representações do dia-a-dia da vida pública são demonstradas em quase todos os períodos da arte mundial. Exemplos de imagens do cotidiano são vistas no Barroco, Romantismo, Realismo e também no Impressionismo. Por ter sido assim por muito tempo dentro da arte, os fotógrafos foram dando continuidade ao assunto assim que a tecnologia permitiu.

Em 1851, o francês Charles Nègre foi o primeiro fotógrafo a alcançar a sofisticação técnica para registar os movimentos das pessoas na rua. De Paris para o mundo, foi no século XX que a fotografia de rua despontou e ganhou sua popularidade. E como isso, grandes nomes surgiram e servem de inspiração para os dias atuais.

Fotografia de rua 1851 Charles Nègre

Fotografia de rua de Charles Nègre em Paris, 1851.

Fotografia de rua atravessando os séculos

Realismo

Fotografia de rua Helen Levitt

Helen Levitt é considerada a fotógrafa mais aclamada e menos conhecida de seu tempo. Uma das poucas figuras femininas a brilharem nos primórdios da fotografia de rua. Foto tirada em Nova York, 1950.

Equipamentos para a fotografia de rua

Se você está começando, pode ser mais interessante não ter muita ambição. Começar com uma câmera pequena, leve e compacta, do tipo “point and shoot” (aponte e atire) pode ser uma boa ideia para começar a perder o medo e ganhar mais confiança. Leve-a sempre consigo, afinal ela é leve e discreta e quase ninguém irá notar, além disso ela pode render fotografias fantásticas se você souber utilizá-la.

Agora, se você adora e tem um smartphone de última geração use a câmera dele, geralmente a qualidade da imagem é alta e as fotos ficam incríveis. O mais importante no começo é treinar a composição e o instante que nem todos conseguem captar. Observar o movimento do cotidiano e tentar captar histórias dentro da imagem.

Fotografia de rua na feira de Roma

A feira do Campo de Fiori em Roma. Essa senhora, dona da barraca estava ajudando a mulher a escolher os tomates-cereja.

Quando estiver se sentindo mais confiante, está na hora de sair com sua câmera DSLR, que você comprou com tanto esforço. Mas antes, fique atento em relação ao lugar que você está indo, e nada de sair com suas várias lentes, flash e tripé. Lembre-se, menos é mais. Se você possui a lente 18-55mm do kit, ótimo! É essa que você usar e mais nada. Uma 50mm também é de grande ajuda, é ainda menor e mais leve que a 18-55mm.

É importante também que se aproveite das novas tecnologias das câmeras modernas e a possibilidade que os seus grandes ISOs podem oferecer, pois a rua é puro movimento, então nada melhor do que poder registrar isso, mesmo em condições difíceis de luz.

Conheça sua câmera. Leia o manual e saiba o que ela é capaz de fazer. Além disso, alguns fotógrafos recomendam deixar a câmera pré-ajustada para evitar a perda de tempo com configurações de obturador e diafragma e garantir o registro dos momentos. Usar no modo AV (Canon) e A (Nikon), para ajustar somente a abertura do diafragma, pode poupar seu tempo e te ajudar a captar momentos importantes.

E por fim, tente usar o visor digital quando puder. O simples gesto de levar à câmera ao rosto já chama atenção de algumas pessoas e toda história que você queria contar pode ir por água abaixo.  Fora isso, com o tempo você vai entendendo e se habituando ao cotidiano da rua, conhecendo sua rotina e a frequência de suas luzes.  Você deve exercitar a paciência e captar os melhores instantes.

Fotografia de rua em Milão Metro P&B

Fotografia de rua no metrô de Milão. Um momento simples, que se vê todo dia mas que muitos não dão importância. Mas na foto fica interessante ver uma mulher lendo um livro enquanto as outras duas pessoas não tiram os olhos de seus smartphones.

Dicas para caprichar na fotografia de rua

Depois de escolher seu equipamento leve e ágil, seja ele seu smartphone, uma câmera compacta ou uma DSLR é bom seguir algumas dicas que foram sendo descobertas através dos anos para melhorar a prática da fotografia de rua.

  • Comece em uma multidão: pontos turísticos ou feiras são excelente para começar a se acostumar a fotografar estranhos.
  • Sorria sempre: quando alguém te notar e olhar estranho, sorria. É difícil não se render a um sorriso.
  • Chegue perto e peça permissão: se uma pessoa te chamou atenção por ter uma aparência interessante, sinta-se livre para chegar até ela. Converse, pergunte se pode fazer a foto, mostre a imagem e agradeça. Isso não é um crime.
  • Tenha respeito: você não está fazendo nada de errado, mas se alguém der a entender que não quer ser fotografado, não fotografe! Tudo bem que você está em local público, e pode fotografar o que quiser, mas o mais importante é ser cordial. Evite fotografar pessoas em situações vulneráveis ou constrangedoras, tente colocar-se no lugar dessas pessoas, você gostaria de ser fotografado assim.
  • Observe a luz: lembre-se que a luz é tudo na fotografia. Onde está o sol, onde estão os reflexos.
  • Varie composições e ângulos: mas busque composições mais simples possíveis.
  • Você tem uma câmera e não uma metralhadora: não faça mil disparos da mesma imagem.
  • Se for fotografar crianças: mostre a câmera para os pais pedindo permissão e depois agradeça.
  • Levante e vá: mexa-se, não adianta ler o post e todas as dicas se você vai continuar parado. Vá em frente, a fotografia não é feita atrás de uma tela de computador, mas nas ruas com uma câmera na mão. A beleza do mundo aguarda você , lembre-se “o mundo posa pra você e todo canto é fotográfico”.
Fotografia de rua em New York

Soho, NY. Em Nova York tudo é bonito e inspirador.

Fotografia de rua em New York dance street

Nova York sendo Nova York.

Fotografia de rua em Florença Noivos

Aqui eu vejo um erro, me arrependo de não ter pego a fotógrafa que estava fazendo o ensaio dos noivos, mas não conseguia compor por nada. Acabei fazendo essa foto mesmo assim.

Fotografia de rua em Milão Metro

Esperando o metrô em Milão.

Fotografia de rua turistas em Roma

Uma família turistando no Campo di Fiori, em Roma.

Fotografia de rua em New York trânsito

A cidade que nunca dorme. De todos os lugares que visitei até hoje, Nova York é de longe a cidade mais fotogênica e interessante. Louca para voltar.

fotografia de rua no Carnaval

Bloquinho de carnaval. Um excelente momento para fazer as mais divertidas fotografias de rua. Nesse caso, era um bloco infantil, dentro de um shopping aberto, no quesito segurança era só nota 10.

Fotógrafos de rua para inspirar

Eu já publiquei aqui no blog o artigo Top 11 Perfis de Fotografia para Seguir e lá eu citei alguns nomes da fotografia de rua mundial atual super incríveis e que valia a pena seguir e se inspirar. Citei nomes como o sul-africano Wayne Lee Robertson (@hipebeast), o californiano Terry McLaughlin (@asteryx) e o nova iorquino Roon (@roon).

Além dessas contas de Instagram, os blogs dos fotógrafos Eric Klim e Yanidel são ótimas fontes de dicas e tutoriais para quem curte a prática da fotografia de rua.

A boa é escolher os profissionais que você admira, e tentar inovar. Seja um pouco diferente e experimente. Tente o seu melhor para se destacar e ser único. Teste com diferentes distâncias focais, ângulos, velocidade do obturador, abertura e equipamentos. Encontre o que deixa você mais confortável.

E para finalizar, não deixe ninguém te dizer o que é ou não é fotografia de rua, que câmera ou técnicas usar. Todo fotógrafo de rua tem sua atitude e seus conceitos, nada está errado. Na fotografia de rua o essencial é transmitir claramente o que você quer dizer, contar a história passando as emoções da cena ao espectador. É como se a sua câmera fosse uma extensão dos seus olhos, permitindo que você divida com todos a sua visão do mundo. Siga a sua intuição e divirta-se!

Comente via Facebook
Deixe um Comentário
3 Comentários
  1. […] outro ensaio muito legal que é praticado nos grandes centros, o ensaio Street aquele ensaio fotográfico feito nas ruas. Aqui em São Paulo se você der um pulo na Avenida […]

  2. Thaís Thomazini • 31 de março de 2016 - 01:21

    Hello!
    Mais um belo post… Muito bem elaborado e organizado, você é boa nisso! :)
    Todas as fotos são suas? Ficaram ótimas! A primeira então…
    Eu falei em um outro comentário que tenho preferência por fotografar paisagens, flores, enfim, natureza em geral, nunca me arrisquei com a fotografia de rua, claro que aínda falta aprender muita coisa, mas nunca me interessei, sabia? Porém, depois que li seus posts falando sobre, fiquei curiosa e prometo tentar. :)
    Agora, conforme você disse nas dicas (muito boas por sinal), é importante saber se quem está sendo fotografado não vai se sentir mal, eu fico preocupada com isso, e até um pouco tímida.
    Assim como você, também acho o centro do RJ muito interessante, porém muito perigoso, aliás é um dos fatores que não me deixa sair fotografando por aí, o RJ não é o local mais apropriado. Uma pena!
    Ah! Adorei a parte da história da fotografia de rua, show!
    Bjs e parabéns pelo post!! :*

    • Zelinda Arêas • 31 de março de 2016 - 10:42

      Olá Thata!!!
      Nossa, muito obrigada pelo comentário e pelos elogios.
      Sim, todas as fotos são minhas, exceto as que eu cito na Historia da Fotografia de Rua. Acredita que eu não me sinto muito a vontade tirando fotos de paisagens? Não sei, acho que nunca tá bom, o céu não tá tão bonito, enfim, sempre fico instatisfeita.
      Agora Thata, normalmente as pessoas não te notam, elas estão tão mergulhadas na rotina e na correria do dia a dia que elas nem te percebem. A foto da mulher lendo o livro no metrô por exemplo, ninguém percebeu que eu estava com uma câmera,e outra, se você estiver numa cidade ou um ponto turístico, aí que você fica invisível mesmo. Vá com uma câmera para Copacabana e ninguém vai te achar estranha. Tente sim, tente com o celular, comece aos poucos, não precisa levar sua DSRL logo de cara e muito menos pro centro do Rio.
      Quis contar um pouco da história para ninguém achar que a prática de capturar o cotidiano surgiu de repente. É uma arte antiga, adorada durante séculos.
      Fico muito contente que tenha gostado. Já já tem mais dicas de fotografia.
      Um beijo grande Thata :*

voltar
para o
topo